sábado, 19 de março de 2011

Uma grande iniciativa mundial em defesa dos animais




 
 e ço:

 
Uma grande iniciativa mundial em defesa dos animais é o Dia Mundial Sem Carne. Como se sabe, os vegetarianos em todas suas ramificações são os maiores contribuintes contra a matança desnecessária de animais e a prova de que o homem pode perfeitamente alimentar-se de produtos que não sejam de origem animal. Ao mesmo tempo entre os vegetarianos está o maior grupo de defensores dos animais. Assim, o Dia Mundial Sem Carne é duplamente comemorado, pelos vegetarianos e por todos os defensores dos animais.

História

O Dia Mundial Sem Carne, (Meat Out Day), surgiu em 1985 e é a maior campanha de educação para uma dieta vegetal e ao mesmo tempo em favor dos animais que só tem a ganhar com isso. Sendo assim, nada melhor para todas as entidades e meios que defendem os animais divulgar e participar ativamente dessa campanha. Quanto menor for o consumo de carne, mais animais são salvos.
Propósitos

Esse dia é um evento internacional promovido por FARM (Farm Animal Reform Movement) que tem como objetivo esclarecer e ajudar todas as pessoas no sentido de praticarem uma dieta benéfica para o organismo e sem crueldade e violência contra os animais. Diante de uma idéia tão humanitária e ao mesmo tempo que só trás benefícios para o praticante, o movimento tem alcançado um crescimento explosivo desde seu início e é hoje uma grande campanha educativa.


Na verdade, a cada ano uma quantidade muito grande de pessoas se tornam vegetarianos e se interessam cada vez mais pela dieta vegetariana, por um lado, movidos pelos ótimos benefícios que ela trás, por outro um pensamento puramente ligado à ética que é a questão da defesa dos animais. Não é sem razão que diversas organizações de promoção de saúde, como a Sociedade Americana do Câncer, o Instituto Nacional do Câncer (Estados Unidos), a Universidade John Hopkins e a Associação Americana do Coração tem suas próprias campanhas para promover e incentivar uma dieta vegetal.

AnimaNaturalis e Jornal Defesa dos Animais

Jornal Defesa dos Animais está uma vez mais trazendo para a língua portuguesa uma das grandes campanhas de AnimaNaturalis, pois não poderia ser de outra forma já que nosso objetivo é a defesa dos animais. Assim, eis o texto de promoção da campanha organizado por AnimaNaturalis:

Por que "Dia Sem Carne?"

Porque reduz o risco de ataques cardíacos, câncer e outras enfermidades degenerativas e crônicas, que anualmente matam a 1.4 milhões de norte americanos e muitos milhões de pessoas em todo o mundo.

Porque decresce a exposição a infecções como a Salmonella e o E-coli, que causa enfermidade a milhões de pessoas anualmente em todo o mundo
Porque eleva nosso nível energético, diminui a quantidade de alimentação e simplifica a preparação e limpeza dos alimentos.

Porque aumenta a quantidade disponível de grãos, cereais e legumes para consumo humano, pois os animais são ineficientes na hora de converter energia em proteína.

Porque preserva o solo, as águas subterrâneas, os bosques e outras formas de vida selvagens pois não se arrasa com o terreno para converte-lo em pasto animal.

Porque protege o solo, a água e outras fontes vitais para a sobrevivência de nossos filhos e e seus filhos.

Porque protege o solo, a água e o ar da contaminação por metano, urina, fezes, hormônios e pesticidas.

Porque salva animais das jaulas, confinamento, privações, maus tratos, golpes, mutilações e uma torturante vida e morte. Cada pessoa que adota uma dieta baseada em vegetais, salva a vida de 95 animais cada ano. No período de sua vida uma pessoa pode salvar mais de 6.000 animais, só tornando-se vegetariana.(Fonte: AnimaNaturalis)

Como você pode agir no Dia Sem Carne - 20 de março

Uma boa idéia é comparecer às atividades que serão promovidas pelas organizações nos diversos países. Procurando ativistas, lendo o material que será divulgado e refletindo sobre o assunto. Se você já é vegetariano, então promova. Prepare-se antes para falar sobre do Dia Sem Carne. Se você não é de falar muito, acesse aqui mesmo ao site da AnimaNaturalis e procure na parte de Download o folheto sobre vegetarianismo ou sobre do Dia Sem Carne. Se você está num país de língua portuguesa, procure o site das grandes organizações em português, certamente lá você vai encontrar algum folheto, imprima e distribua.

Se você não é vegetariano, faça uma experiência. No Dia Sem Carne, coma só vegetais, você vai ficar surpreso, se sentirá muito bem fisicamente e ainda melhor do ponto de vista ético. Faça um esforço, tente repetir a experiência outras vezes. Leia muito sobre o assunto. Um dia, sem você perceber, já não se interessará pela carne. Nesse dia você terá dado um salto de qualidade gigantesco em sua vida e ficará admirado de não ter percebido algo tão lógico e maravilhoso há muito mais tempo. Leonardo Bezerra

 
Enquanto você toma coragem para assistir Terráqueos, veja um vídeo de Fabio Pellicer e veja toda a covardia do ser humano pelo dinheiro e pelo paladar. O nome do vídeo é: Seu Paladar Compensa a dor que Eles Sentem? Atenção, contém cenas fortes de crueldade, se você ainda não está preparado então não assista.
 
----
 

Confira receitas para incrementar o Dia Mundial Sem Carne

Nutricionista fala dos benefícios e malefícios do alimento.
Proteína é encontrada em soja, feijão, lentilha, ervilha e grão de bico.
Do G1, em São Paulo
 

(Foto: Divulgação/Fulô Vegetariano)

Para celebrar o Dia Mundial Sem Carne, que ocorre nesta sexta-feira (20), o G1 consultou a nutricionista Helena Maria Novaretti, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), para conhecer os benefícios e malefícios desse saboroso alimento.

Além de fornecer ao organismo proteínas de alto valor biológico, ou seja, com uma grande proporção de aminoácidos que o corpo não é capaz de produzir sozinho, a carne vermelha é rica em ferro. “Os nutrientes da carne são importantes para o reparo e a formação de tecidos, o crescimento e o transporte de minerais para todo o corpo”, diz Helena.

A carne, no entanto, tem seus aspectos negativos. “Alguns cortes de carne têm alto teor de gordura, principalmente saturada, o que pode causar prejuízos à saúde”, afirma. Para a nutricionista, o ideal não é extinguir a carne da alimentação, mas ingerir cortes que tenham pouca gordura, como filé mignon, patinho e lagarto. “Picanha com muita gordura ou cupim, por exemplo, devem ser evitados”, diz.

Como ficam os vegetarianos
Quem opta por tirar de vez a carne do cardápio deve ficar atento para não mudar a alimentação de repente. “Pessoas que desde pequenas não gostam muito de carne acabam acostumando o organismo a absorver melhor ferro de outros alimentos, que não são facilmente absorvidos por quem está acostumado a comer carne. Já quem interrompe o consumo de carne repentinamente pode acabar com uma anemia por carência de ferro”, afirma.

Além da carne, a proteína pode ser encontrada nas leguminosas, como soja, feijão, lentilha, ervilha e grão de bico. Outra dica de Helena para evitar o consumo de carne gordurosa é dar preferência a pedaços de frango sem pele e ao lombo de porco.
                
Confira sugestões de receitas sem carne:

Risoto Fulô*
(Risoto de arroz integral com shimeji, shitake, cogumelo Paris, queijo mascarpone e amêndoas)

Preparo do arroz “al dente”

Ingredientes:
3 xícaras de arroz integral cateto
4 xícaras de água
2 colheres de chá (10 g) de sal
2 dentes de alho amassados
1 cebola pequena picada
15 ml de óleo (de soja, arroz ou canola)
Lave o arroz e escorra. Em uma panela de pressão, refogue o alho com uma colher de óleo, acrescente a cebola e mexa até dourar. Acrescente o arroz, o sal e refogue juntamente com o alho e a cebola por 5 minutos. Acrescente a água fervente, feche a panela e cozinhe na pressão em fogo brando por 20 minutos. Ao final, o arroz deve estar “al dente”. Reserve.

Preparo do Risoto

Ingredientes:
6 xícaras de arroz cozido “al dente”
120 g de shitake
120 g de shimeji
120 g de cogumelo Paris
40 g de amêndoas fatiadas e tostadas
1 colher de sopa (15 ml) de azeite extravirgem
½ xícara de vinho branco seco
2 colheres de sopa de queijo mascarpone
1 colher de sopa de cebolinha picada

Limpe os cogumelos, retirando os talos do shitake e cortando e descartando a base do shimeji. Corte o shitake em fatias finas, refogue os cogumelos separadamente com um pouco de óleo e reserve. Aqueça o azeite em um frigideira, acrescente o arroz e o vinho branco. Acrescente os cogumelos, mexa bem. Acrescente o queijo mascarpone, mexendo por alguns minutos, acrescente a cebolinha. Retire do fogo e sirva colocando as amêndoas sobre o risoto.
Sugestão de acompanhamento:
Tofu ao gergelim

Ingredientes:
250 g de tofu orgânico firme
1 colher de chá (4 g) de gergelim torrado
Em uma chapa ou grelha, passe o tofu com óleo e shoyu. Quando tiver dourado, retire da grelha e polvilhe com gergelim torrado, servindo imediatamente.

Torta de berinjela*
1 fatia de pão integral
3 berinjelas grandes para a capa
4 berinjelas pequenas orgânicas para o recheio
50 gramas de queijo parmesão ralado
100 gramas de queijo marguerita ralado
1 xícara de folhas de hortelã
10 castanhas do pará
alho e cebola e cebolinha para refogar

Refogar o alho, acrescentar a cebola e as 4 berinjelas para o recheio (previamente grelhadas). Acrescentar a cebolinha. Bater no processador as castanhas e o pão integral e misturar na panela com as berinjelas. Juntar o queijo (marguerita e parmesão) e as folhas de hortelã picadas. Montar a torta e assar por 25 minutos. Decorar com fatias de quejijo e tomate seco. Servir com uma folha de hortelã.

*Receitas sugeridas pelo restaurante Fulô Vegetariano, em São Paulo

(Segundo Helena Novaretti, qualquer receita que não tenha molho pode ser feita com carne de soja em vez de carne vermelha).







Guia São Caetano, o maior portal da cidade.
Quer ver e ser visto? Passa lá!
http://www.guiasaocaetano.com

Um comentário:

Luciana Ribeiro disse...

Muito legal a reportagem que aborda a importância de uma alimentação saudável!
Parabéns pela postagem verde!
ATT/LUCIANA